Lula agradece prêmio internacional de direitos humanos

Publicado em 27 janeiro, 2020
Compartilhe agora!

O ex-presidente Lula (PT) agradeceu “de coração” o prêmio da Fundação Internacional de Direitos Humanos que ele recebeu na última sexta-feira (24). A cerimônia de premiação ocorreu em Madri, na Espanha, sem a presença do petista.

Em vídeo publicado em suas redes sociais, o ex-presidente disse que o prêmio não é apenas dele, mas também “de todas as pessoas que lutam” pela defesa dos Direitos Humanos, da Liberdade, da Democracia e do combate às injustiças.

“Gostaria imensamente de estar aí para receber o prêmio Nicolás Salmerón”, declarou Lula.

LEIA TAMBÉM:
Lula defende Marília Arraes para a prefeitura do Recife

Ministro da Educação comemora suposta demissão de Reinaldo Azevedo nas redes sociais

Coração de pedra, Bolsonaro deixa 500 mil sem Bolsa Família

Em seu comunicado, a Fundação cita a homenagem em função da dignidade e natureza respeitosa, pacífica e democrática com que o ex-presidente enfrentou a perseguição judicial e política a que foi submetido, e que culminou em sua prisão política pelo período de 1 ano e 8 meses.

“Esta instituição sustenta que a raiz dessa perseguição política responde ao objetivo de concluir o incidente inconstitucional e não democrático realizado anteriormente contra a presidente Dilma Vana Rousseff (PT), em um ato inequívoco chamado de lawfare, cujo objetivo final seria forçar e alterar ilegitimamente as eleições presidenciais de outubro de 2018”, afirmou a entidade ao anunciar o prêmio.

A Fundação Internacional de Direitos Humanos reconheceu ainda o legado de Lula no combate à fome e à miséria. “Em seu tempo como presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu colocar três refeições diárias sobre a mesa de milhões de casas – tudo em tempo recorde sem precedentes na história do mundo – pelos mais ousados programa de emprego e segurança alimentar, com o resultado da remoção de cerca de 30 milhões de seres humanos da pobreza.

Sua prisão arbitrária não apenas tentou contra sua reputação e liberdade pessoal, mas também contra a ordem constitucional e o progresso social do Brasil, não ‘apesar de’ tais realizações, mas ‘por causa de’ alcançá-las”, declarou o júri da entidade.

Assista ao vídeo:

Compartilhe agora!