Governo Bolsonaro incorpora o Nazismo na Cultura e nas Artes; assista

O secretário especial da Cultura de Bolsonaro, Roberto Alvim, incorporou o nazista Joseph Goebbels em discurso que anuncia um novo modelo de políticas públicas para as artes, de cunho conservador de extrema-direita.

Ao anunciar o Prêmio Nacional das Artes, Alvim disse:

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”.

A fala é uma adaptação do discurso do chefe da propaganda nazista Goebbels. A seguir o trecho original do alemão:

“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

O discurso foi feito em um vídeo bizarro, em tom dramático e pesado. Confira a seguir:

Não é preciso dizer que as artes não aceitam mordaças ou direcionamentos e que não cabe aos governantes decidir que tipo de arte será produzida.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro e Alvim anunciam editais para reescrever a História e a Cultura do Brasil

Ancine censura cartazes de filmes e faz ‘filtro’ de notícias no site

Roberto Alvim confessa perseguição a servidor que não gosta de Bolsonaro

Em Lisboa, Wagner Moura diz que há censura no Brasil

Fernanda Montenegro sobre a censura: ‘Nenhum sistema vai nos calar’

Bolsonaro é responsável por mais da metade dos ataques a jornalistas em 2019, aponta relatório