Depois de tomar partido pelos EUA, Bolsonaro quer manter comércio com Irã

O presidente Bolsonaro disse hoje (7) que o Brasil pretende manter as relações comerciais com o Irã. A questão é que o apoio enviesado e desnecessário do Brasil aos Estados Unidos na disputa entre os países pode azedar a relação com os persas.

“Nós repudiamos o terrorismo em qualquer lugar do mundo e ponto final. Temos comércio com o Irã e vamos continuar esse comércio”, disse Bolsonaro. Mas as coisas não são tão simples.

Semana passada o Brasil manifestou seu apoio “à luta contra o flagelo do terrorismo”. A nota do Ministério das Relações Exteriores foi divulgada um dia após dos Estados Unidos ter matado Qasem Soleimani, principal general iraniano.

LEIA TAMBÉM
Irã pede explicações ao Brasil sobre apoio ao terrorismo dos Estados Unidos

A 3ª guerra mundial chegando e o Brasil pedindo: #BolsonaroFicaCalado

EUA atacam aeroporto de Bagdá e matam principal líder militar do Irã

A chancelaria do Irã pediu explicações à diplomacia brasileira, sobre o posicionamento do Brasil no caso. Ou seja, pegou mal a nota do Itamaraty em apoio aos EUA.

E não foi por falta de aviso. Após o ataque, os internautas levantaram uma hashtag pedindo para Bolsonaro se conter e não se posicionar. Mas é mais forte que ele…

Com informações da Agência Brasil