Ciro Gomes publica vídeo condenando ataque dos EUA no Iraque; assista

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta sexta-feira (3) que o presidente dos EUA, Donald Trump, bombardeou o Iraque em virtude do calendário eleitoral. O norte-americano é candidato à reeleição em novembro de 2020.

“Mais uma vez, o calendário eleitoral e o desrespeito para com a ordem jurídica internacional, promovido pelo atual governo norte-americano, põem a humanidade em sobressalto”, disse o pedetista, em vídeo publicado nas redes sociais.

Ciro cobrou do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido), que condene à ação que resultou no assassinato do general iraniano Qassem Soleimani.

“O Brasil deve pedir à comunidade internacional uma condenação deste ato impensado de violência de Estado”, exortou o ex-presidenciável.

O diabo é que, após Ciro publicar esse vídeo, ocorreram dois fatos relevantes:

1- Trump bombardeou de novo no Iraque, fazendo mais seis vítimas (todas de um comboio médico)
2- Bolsonaro emitiu um nota oficial alinhada à postura de Trump, não condenando o ataque e a morte do general iraniano.

Para Ciro Gomes, o assassinato de uma autoridade de uma nação soberana, em pleno território estrangeiro, deve ser objeto de censura pela comunidade internacional. Segundo ele, a alegada prevenção futura fere as regras do direito penal internacional.

LEIA TAMBÉM
Deputados do PT, unânimes, repudiam ataque dos Estados Unidos

Trump autoriza novo ataque dos EUA e mais seis morrem no Iraque

EUA x Irã: Bolsonaro volta atrás e divulga nota sobre ataque no Iraque

A 3ª guerra mundial chegando e o Brasil pedindo: #BolsonaroFicaCalado

EUA atacam aeroporto de Bagdá e matam principal líder militar do Irã

Ao vivo: 3ª Guerra Mundial batendo à porta; e agora, Bolsonaro?

Rússia condena assassinato de Soleimani pelos EUA e declara apoio ao Irã

Bolsonaro recruta soldados pela internet. Quem vai em tempo de ameaça de guerra?

EUA x Irã: conflito pode levar o mundo à 3ª Guerra Mundial?

Bolsonaro abandona Trump: governo não comentará morte de general iraniano

Glenn Greenwald: ‘Governo dos EUA mata quem quer porque acredita ser dono do mundo’