Cartórios apoiam ilegalmente a coleta de assinaturas para partido de Bolsonaro

Publicado em 22 janeiro, 2020

Os cartórios de notas são concessões públicas e, por isso, não podem exercer atividades político-partidárias. Não podem mais estão exercendo. Estão apoiando e mobilizando a coleta de assinaturas para a fundação da Aliança pelo Brasil, novo partido do presidente Bolsonaro.

Na quinta-feira (16), o Conselho Nacional de Justiça negou um pedido de suspensão da coleta de assinaturas apresentado pelos partidos de oposição (PT, PSOL, PDT, PSB e PCdoB).

.

O corregedor-geral, ministro Humberto Martins, considerou não haver elementos que comprovassem atuação coordenada de delegados em apoio ao partido. Menos de 24 horas depois, porém, a suspeita ganhou contornos bem mais explícitos de ilegalidade.

Na sexta-feira 17, o 4º Ofício de Notas da Comarca de Belém (Cartório Canduru), no Pará, foi sede de um evento do partido. Na fachada estavam os dizeres: “Apoie o Aliança pelo Brasil”. Na parte de dentro, ao lado do guichê de atendimento, um grupo uniformizado distribuia as fichas de apoio e auxiliava os interessados em preenchê-las. Toda a movimentação foi registrada em fotos, vídeos e confirmada por testemunhas.

Confira o vídeo a seguir:

.

O mesmo aconteceu no Cartório do Bacacheri em Curitiba há alguns dias. Confira:

LEIA TAMBÉM
Ivan Valente sobre o Aliança pelo Brasil: “Partido miliciano”

Partidos vão ao CNJ contra apoio ilegal de cartórios ao partido de Bolsonaro

.

Bolsonaro quer dar um xeque-mate em Moro filiando-o em seu partido

Com informações e foto da Carta Capital.