Bolsonaro se irrita com vídeo de Witzel chamando Mourão de “presidente”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ficou irritado com um vídeo em que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), liga para o vice-presidente general Hamilton Mourão (PRTB) e o chama de “senhor presidente”.

Em entrevista na Índia nesta segunda-feira (27), onde está em seu último dia de visita oficial, Bolsonaro afirmou: “Pelas imagens, ele tá no seu carro e um assessor filma; aí ele liga para o presidente em exercício. Eu acho que não é usual alguém fazer isso; eu não gostaria que fizessem isso comigo, o que se trata por telefone, tem que ser reservado.”

LEIA TAMBÉM:
PT divulga nota sobre os 75 anos da libertação de Auschwitz

AGU entrará com novo recurso contra decisão que impede divulgação do Sisu

Xico Graziano: “coronavírus é invenção do jornalismo catastrófico”

Ministro da Educação comemora suposta demissão de Reinaldo Azevedo nas redes sociais

No vídeo, que foi compartilhado neste domingo (26) por Witzel em sua conta no Twitter, ele é filmado por um assessor enquanto liga para Mourão e diz: “senhor presidente, boa tarde” e fala sobre os problemas causados pelas chuvas em municípios do Rio e a necessidade de levar água para o local.

Mourão diz estar ciente. “Vou pedir para o ministro Fernando (Fernando Azevedo, ministro da Defesa) intensificar isso aí”, afirma. “Qualquer coisa a gente apoia mais alguma coisa aí no Rio, governador. Fica tranquilo”.

Ao comentar nesta segunda-feira sobre o vídeo, o presidente em exercício afirmou que o governador do Rio esqueceu a “ética” e a “moral” ao ter gravado sem autorização.

“Em relação ao governador Wilson Witzel, ele diz que foi fuzileiro naval. Eu acredito que ele esqueceu a ética e a moral, que caracterizam as Forças Armadas, quando saiu do Corpo de Fuzileiros Navais. Nada mais eu tenho a dizer a respeito”, disse Mourão a jornalistas ao chegar no Palácio do Planalto.

Bolsonaro e Witzel têm entrado em atrito nos últimos meses. No fim de novembro, Bolsonaro acusou Witzel de manipular as investigações do caso Marielle Franco e disse que a sua vida “virou um inferno” desde a eleição do seu ex-aliado.

Com informações da Folha.

Assista ao vídeo: