Bolsonaro é a sequência do meu governo, confessa Temer

Crendiospai. Quanto mais rezamos, mais assombração aparece. Veja esse caso do ex-presidente Michel Temer (MDB), que reivindica o “sucesso” do atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à sequência do desmonte estatal começado por ele em 2016.

Beneficiário do golpe de Estado que derrubou a então presidenta Dilma Rousseff (PT), Temer foi o presidente mais impopular do mundo e, até àquela época, o pior do Brasil (agora Bolsonaro lhe “roubou” o título).

Michel Temer era chamado como “Vampirão Neoliberalista”, inclusive ele foi “homenageado” no Carnaval do Rio de 2018.

LEIA TAMBÉM
Suspeito de ser um dos terroristas do ataque à Porta dos Fundos posta vídeo; assista

Aécio Neves passa mal na virada do Ano Novo e é hospitalizado em Florianópolis

Para desespero de Moro, Lei de Abuso de Autoridade entra em vigor na sexta-feira

Dito isto, Temer acredita que Bolsonaro “vai bem” e que o capitão é sua imagem e semelhança.

Em 2017, o emedebista encaminhou a um Congresso Nacional [que continua] ‘dominado por patrões’ a reforma trabalhista, que retirou direitos dos trabalhadores e precarizou a mão de obra –fundamentais para o aumento da informalidade, do desemprego e precarização do emprego.

Aqui e acolá, Bolsonaro e Temer possuem algumas pequenas diferenças comportamentais, mas, no essencial, que é economia, eles estão juntos. A velha mídia (Globo, Estadão, Folha, UOL, Veja, etc.) também está fechado com eles para ferrar a população e escravizar os trabalhadores.