Bolsonaro desiste de subsidiar conta de luz de igrejas

Bolsonaro recebendo oração de líderes da Assembleia de Deus em Manaus.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (15) que “está suspensa qualquer negociação” sobre a possibilidade de dar subsídio à conta de luz de templos religiosos de grande porte.

A decisão foi tomada, de acordo com o presidente, depois de uma reunião com o deputado Silas Câmara (Republicanos), um dos representantes da bancada evangélica no Congresso, e o missionário R.R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro foge de coletiva após pergunta sobre irregularidade na comunicação

Roda Viva divulga lista de entrevistadores de Moro sem Glenn Greenwald

Secretário de Comunicação de Bolsonaro recebe das emissoras de TV
“Conversei hoje com Silas Câmara (presidente da bancada evangélica na Câmara) sobre isso. Ele trouxe a proposta dele. Estava o (missionário) R. R. Soares também . O impacto seria mínimo na ponta da linha, mas a política da economia é de não ter mais subsídios. Falei com eles que está suspensa qualquer negociação nesse sentido”, afirmou Bolsonaro a jornalistas.

Ontem (14), ao tratar do assunto na saída do Palácio da Alvorada, o presidente disse que estava tomando “pancada” por causa da medida, mas ainda não havia decidido.

“Eu estou apanhando e não decidi nada ainda. Eu não sei porque essa gana de dar pancada em mim o tempo todo. Eu assinei o decreto? Então porque essa pancada?”, questionou na ocasião.

Na semana passada, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o impacto econômico da medida seria de R$ 37 milhões.

Com informações do Estadão.