Preço da carne e desemprego podem derrotar Bolsonaro, analisa Paraná Pesquisas

Publicado em 5 dezembro, 2019
Compartilhe agora!

O presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, em entrevista ao Blog do Esmael, afirmou que o preço proibitivo da carne vermelha e o crescente desemprego podem derrotar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições municipais de 2020.

Segundo o dono do instituto de pesquisas, as discussões sobre se é PIB ou ‘pibinho’, se houve ou não crescimento econômico, são inócuas diante da realidade fática. “As famílias estão reunidas no Natal e o parâmetro será o que tem na mesa: se peru ou ovo de galinha; se parente está ou não empregado; se a viagem de férias acontecerá ou não, enfim, as pessoas medem sua felicidade pela capacidade de consumo”, explicou Hidalgo.

De acordo com o pesquisador, o povo ainda tem uma “memória doce” da era petista, do pleno emprego, nos governos de Lula e Dilma.

LEIA TAMBÉM
IBGE vai revisar PIB após erro do governo nos dados sobre exportações

Após fiasco de William Bonner, Globo escala Ana Maria Braga para comentar economia

PT quer a cassação do deputado ‘Mamãe Falei’ por agressão verbal a servidores

Responsável por sondagens eleitorais em todo o País, Murilo Hidalgo estabelece o mês de março para a grande virada do governo Bolsonaro. “Se até lá, quando os boletos de IPVA, IPTU, mensalidades, materiais escolares, etc. precisam ser pagos, a economia não estiver pujante, esqueça. Bolsonaro será o grande derrotado nas eleições de outubro”, prevê.

Por outro lado, explica o presidente da Paraná Pesquisas, há um grande vácuo que as candidaturas de oposição não estão sabendo explorar. Ele exemplifica com a ausência de nomes da esquerda nas principais capitais.

“O campo de oposição a Bolsonaro só teria chances em São Paulo ou com Fernando Haddad ou Marta Suplicy; no Rio com Marcelo Freixo; Manuela D’ávila em Porto Alegre; em Curitiba, Requião poderia sacudir a disputa (se entrar no PT); dentre outras.

Compartilhe agora!