Meirelles abre fogo em Guedes: “AI-5 deixa investidores inseguros”

Publicado em 2 dezembro, 2019
Compartilhe agora!

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), atualmente secretário no governo João Doria (PSDB), de São Paulo, abriu fogo em seu sucessor na pasta Paulo Guedes.

De olho no cargo de ministro da Economia –sim, no governo Jair Bolsonaro–, Meirelles afirma que essa história de “AI-5 deixa investidores inseguros” com o Brasil.

Na semana passada, nos Estados Unidos, Guedes desagradou gregos e baianos ao dizer que poderiam pedir AI-5 se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chamasse o povo para protestar nas ruas.

“É irresponsável chamar alguém pra rua agora pra fazer quebradeira. Pra dizer que tem que tomar o poder. Se você acredita numa democracia, quem acredita numa democracia espera vencer e ser eleito. Não chama ninguém pra quebrar nada na rua. Ou democracia é só quando o seu lado ganha? Quando o outro lado ganha, com dez meses você já chama todo mundo pra quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5. Já não aconteceu uma vez? Ou foi diferente?”, afirmara o ministro de Bolsonaro, repetindo as ameaças do chefe.

LEIA TAMBÉM
Dilma: Comissão de Anistia adia decisão sobre pedido de indenização para 2020

Faustão, no Domingão, esculhamba Bolsonaro ao vivo

Trump anuncia sobretaxa no aço do Brasil. E agora, Bolsonaro?

Henrique Meirelles disse o que pensa sobre isso numa entrevista ao portal UOL, da Folha:

“Olha, não há dúvida. Muitos investidores me dizem que ficaram preocupados com isso. ‘Quer dizer que o Brasil está tendo problemas e pode ter que recorrer a medidas extraordinárias? O Brasil pode ter uma crise bem maior do que o Chile teve? O que está acontecendo pode justificar uma situação dessa?'”, revelou.

Pois bem, daqui a pouco, às 22h, Henrique Meirelles será o entrevistado no programa Roda Viva da TV Cultura. O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo para o Brasil e o mundo.

Também na semana passada, este site registrou que Meirelles pode ser chamado por Bolsonaro em virtude da desgraça promovida na economia pelo ministro Paulo Guedes. A troca seria mais do mesmo, mas o ex-ministro de Michel Temer (MDB) seria mais “educado” e menos truculento aos olhos do mercado.

Compartilhe agora!