Massacre de Ratinho: aumenta número de vítimas no Paraná

Publicado em 3 dezembro, 2019
Compartilhe agora!

Com o passar das horas, chegam informações do aumento de vítimas do massacre de professores autorizado hoje (3) pelo governador do Paraná Ratinho Junior (PSD).

A APP-Sindicato, principal organização laboral do estado, denunciou que a Polícia Militar continua a agredir professores mesmo depois da ocupação pacífica da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP).

A mais nova vítima é a professora de nome Ronaime, do município de Santa Tereza, região de Cascavel, no Oeste.

O primeiro agredido pela tropa de choque de Ratinho foi o professor Leonardo, do município de Fazenda Rio Grande, na Grande Curitiba. Em vídeo, ele registrou que a PM deixou um “galo” em sua cabeça.

LEIA TAMBÉM
PM deixa “galo” na cabeça de professor; assista

Assista ao vídeo do momento da invasão da Assembleia Legislativa do Paraná

URGENTE: Ratinho repete massacre contra professores no Paraná

“Mesmo depois da ocupação pacífica e da sessão suspensa, policiais continuam atacando servidores com gás e spray de pimenta. Isso acontece dentro da Assembleia Legislativa que não tem circulação de ar”, denunciou a APP.

A organização sindical também informou que um professor está preso.

“Além de um professor ferido e uma professora que está hospitalizada, outras três pessoas foram atendidas pelas equipes de saúde com problemas por conta do spray de pimenta nos olhos e passam bem”, comunicou o sindicado da Educação.

Servidores públicos estaduais estão em greve no Paraná contra o governador Ratinho, que tenta aprovar uma reforma da previdência à imagem e semelhança daquela aprovada pelo presidente Jair Bolsonaro aprovou na esfera nacional.

Compartilhe agora!