cartao credito

Juros do cartão de crédito e do cheque especial sobem acima de 300% em novembro

O Banco Central (BC) divulgou nesta sexta-feira (27) que os juros do cartão de crédito e do cheque especial subiram acima de 300% no mês de novembro.

Talvez esses juros escorchantes ajudem a entender por que 71% da população brasileira não sentiu melhora alguma na economia neste ano de 2019, segundo a Paraná Pesquisas.

Para o consumidor comum nada adiantou a queda na taxa Selic para 4,5% –o menor patamar histórico, como gosta de anunciar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

LEIA TAMBÉM
71% dos brasileiros não sentiram melhora na economia, diz Paraná Pesquisas

Brasil era melhor na época de Lula, diz Paraná Pesquisas

Preço da carne e desemprego podem derrotar Bolsonaro, analisa Paraná Pesquisas

61 milhões de brasileiros trabalham sem carteira assinada, diz IBGE

No cartão de crédito rotativo para pessoas físicas, o juro médio subiu de 317,6% ao ano, em outubro, para 318,3% ao ano, em novembro. Na parcial deste ano, o crescimento foi de 32,9 pontos percentuais, pois a taxa estava em 285,4% ao ano no fim de 2018.

Já a taxa média do cheque especial subiu de 305,9% em outubro para 306,6% em novembro. Essa taxa, porém, é mais baixa que a verificada no fim de 2018 (312,6% ao ano). No acumulado de 11 meses, a queda é de 6 pontos percentuais.

A partir de 6 de janeiro de 2020, os bancos não poderão cobrar taxas superiores a 8% ao mês, o equivalente a 151,8% ao ano, nos juros do cheque especial. E em junho, será cobrada tarifa de 0,25% sobre o limite do cheque especial que exceder R$ 500. Essa foi uma decisão do BC, com medida aprovada no Conselho Monetário Nacional, há um mês.