Glenn Greenwald diz ao mundo que Bolsonaro é vassalo de Donald Trump

Publicado em 2 dezembro, 2019
Compartilhe agora!

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, disse ao mundo nesta segunda-feira (2) que o presidente Jair Bolsonaro foi humilhado pelo seu colega estadunidense Donald Trump.

Além disso, o responsável pela Vaza Jato –a série de reportagens sobre a corrupção na força-tarefa Lava Jato– escreveu em inglês no seu Twitter que Bolsonaro age como “escravo” e “vassalo” dos Estados Unidos.

Glenn mora no Brasil há 15 anos e constituiu família aqui na Terra de Santa Cruz (nome dado pelos portugueses após o descobrimento do Brasil). Ele é casado com o deputado David Miranda (PSOL-RJ).

“Isso é humilhante para Bolsonaro”, tuitou o fundador do Intercept ao se reportar ao anúncio de Donald Trump.

O presidente norte-americano sobretaxou hoje o aço e o alumínio importados do Brasil invocando questões de ordem pública (segurança nacional).

Para Glenn Greenwald afirma que a “retribuição” de Trump é injusta ao acusar falsamente o Brasil de desvalorizar o Real.

“Trump o acusa (falsamente) de desvalorizar deliberadamente o Real e impõe tarifas ao aço brasileiro”, denunciou ao mundo, defendendo os interesses do Brasil, que perderá cerca de US$ 4 bilhões (R$ 16,9 bilhões) com a sobretaxa norte-americana.

“Bolsonaro age como um escravo e vassalo para os EUA. Ele literalmente ‘saudou’ a bandeira dos EUA e John Bolton [Assessor de Segurança dos EUA] quando Bolton visitou o Brasil”, criticou o jornalista norte-americano.

O presidente Jair Bolsonaro, como bom vassalo que é, até agora, nada disse acerca do “chifre” que levou em público de Donald Trump.

“Vou falar com o Paulo Guedes antes. Depois eu falo alguma coisa, pra não ter que voltar atrás”, afirmou Bolsonaro no tradicional “quebra-queixo” da manhã de hoje.

LEIA TAMBÉM
Governo Bolsonaro ‘congela’ ingresso no Bolsa Família em 2020

Bolsonaro jura que tem “canal aberto” com Trump

Folha de S. Paulo concede direito de resposta a Bolsonaro; confira a íntegra

Compartilhe agora!