Dia da Consciência Negra “propaga vitimismo”, diz presidente da Fundação Palmares

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Nascimento de Camargo, afirmou nesta terça-feira (10) que o Dia da Consciência Negra precisa acabar. Segundo ele, a data foi criada pela esquerda para “propagar o vitimismo”.

“Claro que tem que acabar o Dia da Consciência Negra, que é uma data da qual a esquerda se apropriou para propagar vitimismo e ressentimento racial. Isso não é uma data do negro brasileiro. Isso é uma data de minorias empoderadas pela esquerda, que propagam o ódio, ressentimento e a divisão racial”, disse Camargo a jornalistas após deixar o Palácio do Planalto, onde se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

LEIA TAMBÉM:
Partidos de posição denunciam governo Bolsonaro na ONU por censura

Deltan Dallagnol responde por novo processo no Conselho Nacional do MP

Conselho de Ética da Câmara aprova suspensão do deputado Boca Aberta por seis meses

Camargo, que teve a sua nomeação suspensa no último dia 4 pela Justiça Federal do Ceará, nega a existência de racismo no Brasil. Ele já chegou a afirmar nas redes sociais que a escravidão foi “benéfica para os descendentes” e que o movimento negro precisa ser “extinto”.

A Fundação Palmares é o órgão responsável pela promoção da cultura afro-brasileira.

Com informações do G1.