Damares: Não quer ‘camisinha’ nos centros de ressocialização de jovens


A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou, em entrevista ao Estadão, nesta quinta-feira (26), que a meta dos próximos três anos é reformular o processo de ressocialização dos jovens infratores no País, dentre as quais está incluída o fim da possibilidade de visita íntima para os casados ou em união estável.

“Uma coisa que vou rever: não aceito visita íntima para meninos. Qual a idade da namorada que vai lá transar com ele? Vou enfrentar isso. Mamãe Damares vai mandar bola, livro, arroz e feijão. Camisinha e lubrificante, não”, disse Damares, que também prometeu ampliar e construir 62 unidades socioeducativas.

Em 2012, uma lei sancionada pela ex-presidente Dilma Rousseff garantiu o direito à visita íntima para jovens infratores casados ou que vivam, comprovadamente, em união estável.

LEIA TAMBÉM:

Governo Bolsonaro autoriza aumento no preço do gás de cozinha nesta sexta

Lava Jato quer ajudar Sérgio Moro ser presidente da República em 2022

“O fanatismo bolsonarista está alimentando a violência”, diz Freixo

A medida ressalta, mais uma vez, o viés do fundamentalismo religioso de Damares, que não leva em consideração a proteção de jovens em uma fase ativa da vida sexual.