Bolsonaro radicaliza e indica pastores evangélicos para a diretoria da Ancine


O presidente Jair Bolsonaro continua fomentando a “guerrilha ideológica” na Agência Nacional do Cinema (Ancine) e nomeará em janeiro de 2020 três novos diretores para o órgão. Dois deles, são declaradamente evangélicos, um “critério” cada vez mais utilizado pelo governo de turno para a nomeação na área cultural e dos assuntos que tratam dos costumes.

De acordo com informações da colunista Mônica Bergamo, dois deles já são certos: o pastor e colunista social Edilásio Barra, o Tutuca, atualmente superintendente de desenvolvimento econômico da agência, e Veronica Brendler, diretora do Festival Internacional de Cinema Cristão.

A Ancine tem sido alvo de uma intensa patrulha ideológica pelo governo Bolsonaro. Recentemente, mais de cem quadros com cartazes de filmes nacionais foram retirados das áreas comuns dos prédios da sede da agência no Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM:

Fernanda Montenegro critica Bolsonaro e diz que direção da Ancine é ‘assassina’

Wagner Moura: ‘Ancine está destruída’ pelo governo Bolsonaro

Ancine censura cartazes de filmes e faz ‘filtro’ de notícias no site

Filmes sobre o período da ditadura militar e de temáticas LGBTQI+ estão, na prática, censurados e sem financiamentos da Ancine.