bolsonaro fake book

Bolsonaro faz o jornalismo se reinventar, por Valdir Cruz

O veterano jornalista curitibano Valdir Cruz, professor e especialista em Filosofia Contemporânea, afirma em seu perfil no Facebook que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) obriga o jornalismo se reinventar.

Ele disse que Bolsonaro mantém uma relação com meios de comunicação baseada na mentira, nas chacotas, na grosseria e na religiosidade exacerbada.

“Assim, a Venezuela derramou petróleo na nossa costa, Leonardo do Caprio pôs fogo na Amazônia entre outras estultices”, escreve.

Valdir Cruz ensina que o jornalista de hoje, a exemplo de antigamente, precisa conferir dados com mais fontes. Ele cita os casos das fake news sobre o PIB e as vendas do Natal, que envergonharam alguns profissionais da imprensa brasileira porque foram desmentidos até por jornais estrangeiros.

“De agora em diante não basta sair da sala do ministro Sérgio Moro e correr para a redação e digitar a reportagem”, cobra ao demonizar a informação de fonte única.

Segundo Cruz, em algumas coletivas da lava jato não havia questionamentos e os entrevistados inclusive eram aplaudidos.

LEIA TAMBÉM
Objeto pontiagudo na barriga de Jair Bolsonaro intriga as redes sociais; confira a imagem

Ciro Gomes: ‘Jair Bolsonaro não terminar o mandato’

Frota provoca Bolsonaro: Até a pescaria é fake

Leia a íntegra da crítica do professor Valdir José Cruz:

Bolsonaro faz o jornalismo se reinventar

Há anos, a imprensa vive de informação de fonte única. O jornalista entrevista uma autoridade, um empresário ou um desportista e já tem seu material pronto.

Vai numa coletiva, como as da lava jato, e aceita as informações repassadas sem qualquer questionamento. Em alguns casos, até aplaude os entrevistados.

Bolsonaro inaugurou uma nova relação com a mídia. Uma relação baseada na mentira, nas chacotas, na grosseria e na religiosidade exacerbada.

Assim, a Venezuela derramou petróleo na nossa costa, Leonardo do Caprio pôs fogo na Amazônia entre outras estultices.

Mas as informações que deveriam ser sérias não são. O crescimento da PIB foi uma mentira desmascarada pela jornal inglês “Financial Times”, o crescimento das vendas de Natal foi outro “migué” que se aplicou nós jornalistas. O mesmo se deu no índice de redução de homicídios.

Nada do que o governo diz é verdade. De agora em diante não basta sair da sala do ministro Sérgio Moro e correr para a redação e digitar a reportagem. É preciso ter mais fontes, como antigamente éramos obrigados a ter nossa própria agenda. É necessário conferir os dados passados pelas autoridades com mais profissionais, com mais gente balizada…

Se não fizer isso, publica-se fake news de interesses alheios e envergonha o jornalismo…

Pensem nisso…

Ou vire porta-voz de gente maluca e mal intencionada…