Para agradar Bolsonaro, empresas anunciam boicote à Rede Globo

Publicado em 3 novembro, 2019
Compartilhe agora!

O AI-5 já começou a vigorar no Paraná. Ao menos duas empresas de Curitiba anunciaram esta semana que estão a boicotar a Rede Globo, isto é, não veicularão mais publicidade na emissora dos Marinho.

A Rede de Supermercados Condor e a Habitec Imóveis, do ramo imobiliário, por meio de suas agências, informaram que não irão renovar contratos de propaganda com a Vênus Platinada.

Para puxar o saco de Bolsonaro, essas empresas dizem que pararam de anunciar na Globo depois da reportagem que ligou o presidente da República aos assassinos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ).

“Entendemos que em vista da franca recuperação econômica do nosso país, a emissora não deve ser somente imparcial, mas também não deve dar publicidade a notícias sensacionalistas, que só servem de especulação e municiam os que se opõem ao progresso do nosso Brasil”, diz um comunicado do Condor –aliás, nome da operação “Condor”, aliança das ditaduras militares do Brasil, Chile e da Argentina (1970-1980).

A Habitec foi mais bolsonarista ainda em sua carta. A imobiliária “alugou” a cabeça da Globo com a seguinte história contada por seu diretor Rodrigo Vianna:

* “Não podemos compactuar com a posição que a Rede Globo vem tomando em diversos episódios de seu jornalismo”;

* “Não temos visão político partidária, mas sentimos que o momento exige de todos nós um compromisso maior com o país”; e

* “E infelizmente o que temos visto é um desserviço à nação com uma posição da Rede Globo, a quem vocês são filiados, que não soma em nada para que, juntos, saiamos da crise em que nos encontramos”.

O empresário Luciano Hang, o Véio da Havan, apesar de puxar o saco de Bolsonaro, não rompeu com a Globo. O “Super Véio” apenas limitou-se a ameaçar a emissora de televisão.

“A Globo perdeu a chance de pedir desculpas ao povo brasileiro pelo grande erro que cometeu. É motivo de piadas por todo o Brasil. Se não mudar o editorial e começar a apoiar as mudanças que o povo tanto quer será o começo do fim. Ninguém sobrevive sem credibilidade e audiência”, disse o dono da Havan.

Abaixo, leia a íntegra das duas cartas (Condor e Habitec).

***

CARTA DA HABITEC

Ao
Grupo Paranaense de Comunicação – RPC
A/C do Departamento Comercial
Adalberto de Poli Jr

Prezado Adalberto,

Estamos formalizando nossa negativa com relação à renovação de nosso contrato de veiculação junto a vocês.

A Habitec Imóveis sempre desenvolveu suas atividades respeitando todas as políticas de compliance de forma a contribuir com o que está ao seu alcance, com sociedade em que está inserida.

Em que pese o atendimento comercial sempre ter sido alvo de elogios por todos nós, não podemos compactuar com a posição que a Rede Globo vem tomando em diversos episódios de seu jornalismo.

Não temos visão político partidária, mas sentimos que o momento exige de todos nós um compromisso maior com o país. E infelizmente o que temos visto é um desserviço à nação com uma posição da rede Globo, a quem vocês são afiliados, que não soma em nada para que, juntos, saiamos da crise em que nos encontramos.

Tomamos assim, a decisão de não mais agregar nossa marca à Rede Globo até que identifiquemos uma mudança radical em sua postura jornalística.

Acreditamos que, futuramente, poderemos retomar nossas negociações em um ambiente que não esteja contaminado por uma posição deletéria aos desejos e necessidades do Brasil.

Atenciosamente

Rodrigo Vianna
Habitec Imóveis

Clovis Araujo
Soul Propaganda

Curitiba 01 de novembro de 2019;

***

CARTA DO CONDOR

Caros amigos,

Em vista do posicionamento duvidoso da Rede Globo em relação à pessoa do nosso Presidente da República, comunico que hoje tomamos a decisão em nossa empresa de cancelar nossas inserções em todo o jornalismo nacional da emissora, isto é, Bom Dia Brasil, Jornal Hoje e Jornal Nacional, bem como de programas que vão contra os princípios e valores familiares.

Entendemos que em vista da franca recuperação econômica do nosso país, a emissora não deve ser somente imparcial, mas também não deve dar publicidade a notícias sensacionalistas, que só servem de especulação e municiam os que se opõem ao progresso do nosso Brasil ou que deponham contra a instituição familiar.

E essa será nossa posição, até que a emissora assuma uma postura mais justa, de acordo com a vontade da maioria da população, que elegeu o nosso atual presidente, pois na era negra em que vivemos sob a administração petista a emissora não agia da mesma forma.

Compartilhe agora!