Massacre na Bolívia: Número de mortos sobe para 23, diz OEA

Publicado em 17 novembro, 2019


Durante os protestos contra o golpe de estado na Bolívia, que forçou a renúncia do presidente Evo Morales, pelo menos 23 pessoas foram mortas e 715 ficaram feridas, informa a Organização dos Estados Americanos (OEA).

De acordo com os dados da OEA, divulgados na página da organização no Twitter, só no sábado (16) morreram nove pessoas e 122 ficaram feridas em resultado das ações da polícia e das Forças Armadas.

A crise política na Bolívia começou na sequência das eleições de 20 de outubro, que terminaram com a vitória do presidente Evo Morales e uma violenta campanha da oposição contra os resultados eleitorais liderada pelo miliciano Luis Camacho e o candidato derrotado Carlos Mesa.

LEIA TAMBÉM:

Governo Bolsonaro reconhece a presidente autoproclamada da Bolívia

Repressão brutal na Bolívia; assista vídeo de mulher espancada

Zumbis lavajatistas tentam ir às ruas neste domingo contra Gilmar Mendes

No último domingo (10), as Forças Armadas da Bolívia exigiram a renúncia de Morales para segurar a “estabilidade” no país. Depois disso, Evo Morales e pediu asilo ao México com outros membros da direção do país.

Na terça-feira (12), a parlamentar oposicionista e segunda vice-presidente do Senado Jeanine Áñez auto proclamou-se presidente da Bolívia, com apoio dos militares e dos grupos golpistas.