Lula desafia Bolsonaro deixar milicianos para governar para o povo

Publicado em 9 novembro, 2019

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chamou para a briga o presidente Jair Bolsonaro (PSL), neste sábado (9), ao desafiá-lo a governar para o povo ao invés de privilegiar milicianos do Rio de Janeiro.

“Ele [Bolsonaro] foi eleito. Democraticamente nós aceitamos o resultado da eleição. Esse cara tem um mandato de 4 anos. Agora, ele foi eleito para governar para o povo brasileiro, e não para governar para os milicianos do Rio de Janeiro”, disparou o petista em discurso à militância em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo.

.

Lula escolheu como alvos, além de Bolsonaro, o procurador da força-tarefa Lava Jato Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sérgio Moro.

“Eu poderia ter ido a uma embaixada, eu poderia ter ido a um outro país, mas eu tomei a decisão de ir lá [ser preso]. Porque eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando”, acusou o ex-presidente.

LEIA TAMBÉM
Lula Livre sufoca manifestação pró-Bolsonaro neste sábado

.

Bolsonaro pede para seguidores não darem “munição ao canalha” do Lula

Lula ao vivo no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC; acompanhe

Lula disse que assistiu bastante teve em canal aberta nesses 580 dias que ficou preso e lamentou a qualidade das emissoras de televisão brasileiras.

.

“A TV do Silvio Santos tá uma vergonha. A Record tá uma vergonha. E a Globo não preciso nem dizer, continua a mesma coisa”, criticou.

Ao desafiar o atual governo a trocar os milicianos do Rio pelo povo brasileiro, o ex-presidente Lula disse que Bolsonaro teme a esquerda.

“Se a gente trabalhar direitinho, em 2022 a chamada esquerda que o Bolsonaro tanto tem medo vai derrotar a ultradireita nesse país”, disse o petista.