Líder da oposição pede golpe militar contra Evo Morales na Bolívia

Publicado em 3 novembro, 2019
Compartilhe agora!


O líder da oposição golpista de Santa Cruz de La Sierra, Luis Fernando Camacho, chamou os militares a intervir na crise política fabricada pela direita no país. Camacho, que lidera o chamado Comitê Cívico, deu um ultimato ao presidente Evo Morales para renunciar o seu cargo em 48 horas. A oposição de direita não reconhece a vitória de Evo Morales.

Durante um discurso no sábado (2), Camacho leu uma carta as forças armadas do país para estarem ao ‘lado do povo’. A oposição não reconhece a vitória de Evo Morales nas eleições que aconteceram no dia 20 de outubro.

O ministro de Governo, Carlos Romero, deu uma resposta dura ao líder golpista: “Aquele que pede intervenção militar está pedindo sangue e morte”, declarou.

O candidato derrotado da oposição, Carlos Mesa, demanda a anulação da votação e novas eleições gerais.

LEIA TAMBÉM:

Urgente: Evo Morales denuncia ‘conspiração golpista’ na Bolívia

Morales promete 2º turno na Bolívia se for comprovada fraude em contagem

Governo Bolsonaro não reconhece reeleição de Evo Morales na Bolívia

O resultado das eleições provocou os protestos na Bolívia que levou a morte de dois manifestantes e mais de 140 feridos.

A oposição não reconhece a vitória de Evo Morales nas eleições de 20 de outubro, alegando fraude na apuração. O resultado eleitoral foi reconhecido por mais de 200 observadores internacionais, inclusive com a presença de integrantes da Organização de Estados Americanos (OEA), que depois voltou atrás e também pressiona o governo da Bolívia por novas eleições.

*Com informações da Folha de São Paulo

Compartilhe agora!