Globo açula a direita contra o STF; ao vivo discussão sobre prisão em 2ª instância

Publicado em 12 novembro, 2019
Compartilhe agora!

A Rede Globo de Televisão sabe que a PEC 410/2018, em discussão na CCJ da Câmara, é inconstitucional. Não tem como prosperar porque viola cláusula pétrea da Carta Magna. No entanto, a emissora continua a açular movimentos de extrema-direita contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

A Comissão de Constituição e Justiça debate, na tarde desta terça-feira (12), a Proposta de Emenda Constitucional que supostamente permitiria a prisão após condenação em segunda instância.

O diabo é que o artigo 5º, inciso LVII, da Constituição, é claro ao dizer que ninguém pode ser preso sem o trânsito em julgado. Tal dispositivo é repetido no artigo 283 do Código de Processo Penal, cuja confirmação se deu na semana passada pelo Supremo.

Por que raios a Rede Globo atiça os movimentos de direita contra os ministros do STF, tendo como bola da vez Gilmar Mendes?

Explica-se:

  • A TV Globo tenta fidelizar e manter sob seu guarda-chuva um público identificados com pautas com falso moralismo. Seria uma espécie de milicia de reserva da emissora dos Marinho;
  • A iminência de o Supremo julgar a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, um dos vazadores de informações da Lava Jato;
  • Continuidade da supremacia lavajatista com o objetivo de baixar o custo de produção de suas notícias jornalísticas;
  • Impedir a volta de Lula e do PT ao poder;
  • Garantir o arrocho salarial, o fim da aposentadoria, da educação e saúde universais para abrir mercado para os lobbies privados.

Enfim, a Globo se curvou ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e ao ministro Paulo Guedes para assegurar a política neoliberal de doação de empresas públicas e o predomínio dos bancos.

Compartilhe agora!