CNMP passa o pano: Dallgnol é apenas advertido por fala contra ministros do STF

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu nesta terça-feira (26), por 8 votos a 3, aplicar apenas a punição de advertência ao procurador da República Deltan Dallagnol em razão de uma entrevista concedida à rádio CBN no dia 15 de agosto do ano passado.

LEIA TAMBÉM:
Livro de Dallagnol sobre corrupção encalha e vai à promoção

AI-5 de Paulo Guedes ‘quebra’ o Twitter

Professores da UFG acionam o STF contra o ministro da falta de Educação

O processo disciplinar contra o procurador foi aberto a pedido do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, por manifestação indevida. Na entrevista, Dallagnol criticou decisão da Segunda Turma do STF que determinou a transferência de termos de delação premiada da Odebrecht da Justiça Federal em Curitiba para a justiça Federal e Eleitoral do DF.

“Agora, o que é triste ver é o fato de que o Supremo, mesmo já conhecendo o sistema, e lembrar que a decisão foi 3 a 1, os três (Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Lewandowski) mesmo de sempre do STF que tiram tudo de Curitiba e que mandam tudo para a Justiça Eleitoral e que dão sempre os habeas corpus, que estão sempre formando uma panelinha, assim mandam uma mensagem muito forte de leniência a favor da corrupção”, afirmou Dallagnol na ocasião.

Entre as punições que Dallagnol poderia receber estavam advertência, censura, suspensão e demissão.

Com informações do G1.