BOMBA: Porteiro que aparece em áudio não é o mesmo que falou com “seu Jair”

A Polícia Civil do Rio de Janeiro já tem algumas novidades nas investigações sobre a portaria do condomínio Vivendas da Barra, onde Jair Bolsonaro morou até 31 de dezembro e onde mora Carlos, um dos filhos do presidente. Informa o jornalista Lauro Jardim, no O Globo.

Segundo Lauro Jardim, “a Polícia já sabe que o porteiro que prestou depoimento e anotou no livro o número 58 (o da casa de Jair Bolsonaro) não é o mesmo que fala com o PM reformado Ronnie Lessa (dono da casa 65) no áudio divulgado por Carlos Bolsonaro e periciado em duas horas pelo Ministério Público”.

LEIA TAMBÉM:
Caso Marielle: PT entra com notícia-crime no STF contra Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro e Sérgio Moro

Vaza carta da Rede Globo sobre áudio no condomínio de Bolsonaro; confira a íntegra

Rede pede a cassação de Eduardo Bolsonaro por defender AI-5

O jornalista ressalta que “o porteiro que prestou os dois depoimentos em outubro — e disse ter ouvido o o.k. do ‘seu Jair’ quando Élcio Queiroz quis entrar no condomínio — ainda está de férias”.

Queiroz é acusado pela polícia de ser o motorista do carro usado no assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes. E Lessa é suspeito de ter disparado os tiros.