Bolsonaro quer usar aposentados para cortar verbas da Saúde e Educação

Publicado em 5 novembro, 2019
Compartilhe agora!

O governo Bolsonaro deve apresentar ainda nesta terça-feira (5) uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz drasticamente ab verbas federais para Saúde e Educação.

A ideia é colocar os valores pagos aos aposentados e pensionista dos dois setores no cálculo do mínimo constitucional que a União é obrigada a gastar nas duas áreas. Atualmente, essa conta leva em consideração somente os gastos com pessoal ativo.

Então, se uma pasta destina R$ 20 bilhões em gastos obrigatórios, mais R$ 4 bilhões em despesas com aposentados, ela poderia reduzir o valor total para apenas R$ 20 bilhões, diminuindo a quantia destinada a algum setor dentro da área de gastos obrigatórios.

Confira o comentário do Deputado Orlando Silva sobre a proposta:

LEIA TAMBÉM
Após crítica do PT, bolsonarista Rede Condor volta atrás de boicote à propaganda na Rede Globo

Lava Jato enrolou a ministra Rosa Weber na investigação de Lula, diz Intercept

“Bolsonaro não termina o mandato”, prevê deputada Janaina Paschoal

Ou seja, os salários pagos para quem já trabalhou por décadas e já tem direito ao descanso passam a contar como investimento. Diminuindo ainda mais os já combalidos orçamento da saúde e da educação dos brasileiros.

Uma lástima.

Com informações do Congresso em Foco.

Compartilhe agora!