Protocolada ADI contra a privatização da Eletrobras

Bolsonaro inicia a privatização selvagem da Eletrobras

Publicado em 5 novembro, 2019
Compartilhe agora!

Juiz federal suspende medida provisória que permitia privatização da Eletrobras
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assina nesta terça-feira (5) o projeto de lei que autoriza a privatização da Eletrobras. Um ofício do Ministério de Minas e Energia, comandado por Bento Albuquerque, comunicou a empresa estatal. Em entrevista à GloboNews, o ministro disse nesta terça que o governo busca “capitalizar” a empresa, que, segundo o ministro, está perdendo participação no mercado.

“Estamos otimistas em relação à tramitação desse projeto. O presidente Bolsonaro assinando hoje o projeto de lei, eu levarei pessoalmente para entregar ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ainda hoje”, disse. De acordo com ele, a Eletrobras terá só 15% de geração de energia e 35% na transmissão em dez anos se não for privatizada.

Após assinatura de Bolsonaro, é necessário ainda o aval do Congresso para que o governo dê prosseguimento ao plano de privatização da empresa. A Eletrobras foi excluída do PND (Plano Nacional de Desestatização) e precisa que o Congresso Nacional aprove a sua reinclusão.

LEIA TAMBÉM:

‘Privatização da Eletrobras trará tarifaço de R$ 400 bilhões’, denuncia Gleisi

Bispos manifestam preocupação com privatização da Petrobras, Eletrobras e da água

Deputados do PSL querem quebrar sigilo do cartão corporativo de Bolsonaro

A venda da Eletrobras vai prejudicar 99,7% da população brasileira que é consumidora de energia elétrica. A projeção da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é de que as contas de luz subam, de imediato, entre 16% a 17% em todo o território nacional.

*Com informações da Federação Nacional dos Urbanitários

Compartilhe agora!