Bolívia: Evo Morales denuncia tentativa de golpe de estado neste sábado

Publicado em 9 novembro, 2019
Compartilhe agora!


O presidente da Bolívia, Evo Morales, denunciou neste sábado (9) uma tentativa de golpe de Estado em curso no país operado por grupos de extrema-direita. Morales denunciou um motim da Unidade Tática de Operações Policiais (UTOP) de Cochabamba e de ações organizadas por grupos de provocadores na mesma região.

“Irmãs e irmãos, nossa democracia está em risco pelo golpe de Estado posto em marcha por grupos violentos que atentam contra a ordem constitucional”, divulgou o governante neste sábado no Twitter.

“Denunciamos perante a comunidade internacional este atentado contra o Estado de Direito”, acrescentou Morales em sua conta @evoespueblo, onde em outra mensagem reiterou o chamado ao povo a cuidar pacificamente da democracia e da CPE (Constituição Política do Estado) para preservar a paz e a vida como bens supremos acima de qualquer interesse político.

“A unidade do povo será a garantia para o bem-estar da Pátria e a paz social”, enfatizou o estadista, que segundo meios de imprensa locais reuniu-se nas primeiras horas da noite na Casa Grande do Povo (sede do Executivo) com membros do gabinete.

Todavia, a Unidade Tática de Operações Policiais mantém a custódia do centro político do país e o canal estatal Bolívia TV evidenciou em imagens um trânsito normal pelas ruas de La Paz.

LEIA TAMBÉM:

Líder da oposição pede golpe militar contra Evo Morales na Bolívia

Urgente: Evo Morales denuncia ‘conspiração golpista’ na Bolívia

Em torno das 20h30, o ministro de Defesa da Bolívia, Javier Zavaleta, descartou em coletiva de imprensa a saída das Forças Armadas às ruas devido ao amotinamento de efetivos policiais em Cochabamba.

“O governo tem orientado que sob nenhuma circunstância vai ter algum aquartelamento nem uma operação militar nas ruas de nenhuma cidade”, assegurou Zavaleta.

Enfatizou que a situação das Forças Armadas nos nove departamentos e em todo o país é de total normalidade em suas atividades cotidianas.

“Não existe nenhuma mobilização de nenhum militar do país para tranquilidade da população”, reiterou o ministro da área a cargo do sistema defensivo boliviano.

*Com imformações de Prensa Latina

Compartilhe agora!