Agente da PF planeja escrever livro sobre convivência com Lula

O agente da Polícia Federal (PF), Jorge Chastalo, carcereiro do ex-presidente Lula, planeja escrever um livro para falar da convivência com o petista na prisão.

Lula ficou preso na Superintendência da PF em Curitiba por 580 dias e acabou se aproximando de Chastalo, que era o responsável por controlar a entrada e saída de advogados, políticos e familiares do ex-presidente.

LEIA TAMBÉM:
Lula quer discutir ‘olho no olho’ com os militares

A Globo alimenta a mentira em nome do que?, pergunta Lula

Lava Jato usou métodos de tortura, diz Gilmar Mendes ao Clarín

Segundo o agente, a sugestão registrar as memórias de sua convivência com Lula na prisão em um livro foi do escritor cubano Leonardo Padura, autor do best-seller “O homem que amava os cachorros”, que visitou o ex-presidente no dia 15 de agosto.

“Ele (Padura) disse que eu tinha obrigação de escrever e que era uma testemunha da história. Para ele, isso se sobrepõe a qualquer outra questão”, disse Chastalo.

O agente disse ainda que se preocupa com as implicações legais da publicação e que nunca falou com Lula sobre o assunto.

Com informações do O Globo.