Reinaldo Azevedo: ‘PSL pode cair na prisão em 2ª instância’

Publicado em 16 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O jornalista Reinaldo Azevedo, da Bandnews e Folha, ironizou a deputada Caroline de Toni (PSL-SC), que nesta quarta-feira (16) leu o relatório na CCJ da Câmara da PEC que autoriza a prisão após condenação em 2ª instância.

‘Cuidado, PSL. Pela quantidade de gente do partido enrolada… Vão acabar presos em segunda instância’, ironizou o jornalista, ao criticar a campanha da agremiação pelo desrespeito à Constituição.

Seria o típico filme em que o feitiço vira contra o feiticeiro.

Para Reinaldo, a parlamentar que leu hoje o relatório que afronta o STF deveria saber que o trânsito em julgado e a presunção da inocência são cláusulas pétreas, que não podem ser modificadas, de acordo com os artigos 5º e 60 da Carta Magna.

LEIA TAMBÉM
Termina em bate-boca leitura de parecer sobre prisão em 2ª instância na CCJ da Câmara

Mudança de entendimento sobre prisão 2ª instância beneficiaria apenas 4,8 mil presos, diz CNJ

Maia reúne Frota, líderes do Centrão e deputados anti-Bolsonaro do PSL

Na tarde desta quarta, a deputada do PSL catarinense –amparada pelo presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR)– deram sequência ao debate de uma PEC inconstitucional, qual seja, com vício de origem.

Segundo a oposição no colegiado, Francischini e Caroline levaram a pauta adiante, mesmo sendo inválida, somente para açular a milícia virtual lavajatista contra os ministros do Supremo Tribunal Federal.

Nesta quinta-feira (17), a partir das 14h, o Supremo examinará as ADCs (ações declaratórias de constitucionalidade) acerca do art. 283, do Código de Processo Penal*, que espelha o art. 5º da Constituição Federal.

* Art. 283. Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária ou prisão preventiva.

Compartilhe agora!