PSL defenestra deputados ligados a Bolsonaro; veja quem dançou

Publicado em 18 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro sofreu nova derrota nesta sexta-feira (18) durante convenção nacional extraordinária do PSL, em Brasília.

A executiva nacional do PSL decidiu suspender cinco parlamentares ligados a Bolsonaro. A saber:

1- Alê Silva (MG);

2- Bibo Nunes (RS);

3- Carlos Jordy (RJ);

4- Carla Zambelli (SP); e

5- Filipe Barros (PR).

LEIA TAMBÉM
Glenn Greenwald ironiza Joice Hasselmann: ‘vai voltar a fazer vídeos no Youtube’
#BolsonaroVagabundo quebra o Twitter, até os robôs estão desnorteados

Delegado Waldir admite votar contra Bolsonaro no Congresso

A resolução partidária consiste em suspender todos os direitos desses cinco deputados bolsonaristas, qualquer manifestação no plenário, suspensão de colocar nome em lista representando o PSL de escolha do líder do partido.

O encontro partidário de hoje ainda destituiu Flávio e Eduardo dos comandos do PSL no Rio e São Paulo, respectivamente, e reafirmou o mando do deputado Luciano Bivar (PE) na sigla.

Bolsonaro sofreu a primeira grande derrota ao tentar substituir o líder do PSL na Câmara, tirando o deputado Delegado Waldir (GO) por seu filho “Zero Três”, qual seja, Eduardo, mas a bancada reagiu e referendou Waldir que prometeu “implodir” o presidente da República xingando-o de “vagabundo”.

Além dessas derrotas no âmbito do PSL, o racha fez Bolsonaro recuar da intenção de indicar Eduardo para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Hoje, segundo congressistas consultado pelo Blog do Esmael, o filho do presidente não emplacaria nem para síndico da chapelaria no Senado.

A presença dos Bolsonaro no PSL parece ser insustentável.

Compartilhe agora!