Procuradora nega versão do porteiro do condomínio de Bolsonaro

Publicado em 30 outubro, 2019
Compartilhe agora!

A procuradora Simone Sibilio, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio de Janeiro concedeu uma entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Ela afirmou que, segundo o áudio coletado pela investigação, a entrada de Élcio de Queiroz no condomínio onde reside o presidente Bolsonaro foi autorizada por Ronnie Lessa. Ambos são acusados de serem os assassinos de Marielle Franco e Anderson Gomes.

A afirmação contradiz o porteiro do condomínio que afirmou em depoimento que Élcio foi autorizado a entrar por um morador da casa do presidente.

Ronnie Lessa morava na casa registrada com os números 65 e 66 no Condomínio Vivendas da Barra, onde o presidente Jair Bolsonaro tem um imóvel, a casa 58.

O deputado Rogério Correia (PT-MG) solicitou que o porteiro do condomínio fosse incluído no Programa Federal de Assistência e Proteção a Vítimas e Testemunhas (Provita).

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro surta com Globo e vai para o tudo ou nada; assista

Globo jura que não fez “patifaria”; assista à resposta da emissora

Envolvimento de Bolsonaro no assassinato de Marielle domina o Twitter

Resta saber se a rede Globo, que divulgou a informação pelo Jornal Nacional tem como sustentá-lá, ou vai ficar com a “barriga”.

Com informações do G1

Compartilhe agora!