Presidente do Equador decreta estado de exceção no país

Publicado em 3 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O presidente do Equador, Lenín Moreno, decretou estado de exceção em todo país, nesta quinta-feira (3), frente aos protestos contra a alta de até 123% no preço dos combustíveis.

“Com o objetivo de precautelar a segurança da população e evitar o caos, determinei o estado de exceção em nível nacional”, disse Moreno à imprensa, após liderar uma reunião de gabinete.

LEIA TAMBÉM:
Trabalhadores e estudantes saem às ruas em defesa da educação e da soberania nacional

Prefeitura de Paris concede a Lula o título de cidadão honorário

Frente em Defesa da Soberania será lançada em Porto Alegre na segunda

Com o decreto, o presidente equatoriano pode dispor das Forças Armadas nas ruas, assim como fechar portos, aeroportos e passagens de fronteira. Também lhe permite mover a sede do governo para qualquer lugar do Equador e promover censura prévia às informações de meios de comunicação.

Do Palácio Carondelet em Quito, a ministra do Interior, Maria Paula Romo, informou que o decreto de Moreno durará 60 dias.

Protestos
Nesta quinta-feira, várias federações de transporte do Equador estão realizando uma greve nacional em rejeição à eliminação do subsídio do governo aos combustíveis e sua consequente liberação de preços.

A greve e as manifestações, apoiada por grupos de estudantes, estão acontecendo em todo o país e afetou, em maior medida, as cidades de Quito, Guayaquil e Cuenca.

Assista:

Com informações do site RT.

Compartilhe agora!