Governo Bolsonaro não reconhece reeleição de Evo Morales na Bolívia

Publicado em 26 outubro, 2019

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil afirmou em seu perfil oficial no Twitter que não reconhece a reeleição de Evo Morales na Bolívia. As eleições presidenciais aconteceram no último domingo (20).

“Considerando-se as tratativas em curso entre a @OEA_oficial e o governo da #Bolivia para uma auditoria completa do primeiro turno das eleições naquele país, o Brasil não reconhecerá, neste momento, qualquer anúncio de resultado final”, postou o Itamaraty na rede social.

LEIA TAMBÉM:
PT defende eleição de Evo Morales e repudia tentativa de golpe

Delegado que tomou depoimento de Marcos Valério desmonta farsa da Veja contra Lula

Olavo de Carvalho prevê queda de Bolsonaro e pede ditadura

O Brasil, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Organização dos Estados Americanos (OEA) e a União Europeia querem a realização de um segundo turno nas eleições presidenciais bolivianas por causa de supostas fraudes na contagem dos votos que teriam acontecido no primeiro turno.

Evo Morales foi reeleito presidente da Bolívia no primeiro turno com 47,07% dos votos; Carlos Mesa, seu principal opositor, obteve 36,51%. A diferença entre os candidatos é de 10,56% pontos percentuais. Pela legislação eleitoral da boliviana, para vencer no turno, é preciso conquistar mais de 40% dos votos com pelo menos 10 pontos de diferença do segundo colocado.