Gilberto Carvalho diz que polícia do PSDB já investigou a morte de Celso Daniel

Publicado em 25 outubro, 2019

O ex-ministro Gilberto Carvalho (PT) publicou uma nota sobre a matéria da revisita Veja que traz acusações de Marcos Valério contra Lula e outros membros do Partido dos Trabalhadores. Segundo ele, a morte de Celso Daniel não causa tremor nem medo no partido. “Causa dor”.

A matéria de capa da última edição da revista Veja tenta associar o ex-presidente Lula à morte de Celso Daniel, prefeito petista de Santo André (SP) que foi executado a tiros em 2002 depois de um sequestro.

.

A “fonte” da revista é um trecho de depoimento do publicitário Marcos Valério, preso que “já foi torturado num presídio” e “teve os dentes quebrados” na cadeia segundo próprio texto da Veja.

LEIA TAMBÉM:
Veja abusa da Fake News e comete crime calúnia contra Lula

Dias Toffoli é alvo de chantagem da mídia às vésperas da 2ª instância

.

IstoÉ expõe falcatruas do clã Bolsonaro

Carvalho lembrou que quem investigou a morte de Celso Daniel foi a Polícia Civil de São Paulo e a Polícia Federal, ambas sob o Governo do PSDB. O inquérito primeiro foi contestado e foi realizado pela insuspeita Dra. Elisabete Sato um segundo inquérito que chegou às mesmas conclusões.

Leia a íntegra do texto do ex-ministro:

.

Mais uma vez a Revista Veja cumpre seu papel de ser Veja: requenta matéria dando voz a um bandido interessado unicamente em diminuir suas penas, distribui acusações infundadas e a revista não ouve o outro lado, não cuida de fazer um jornalismo minimamente decente.

Nunca vi pessoalmente, não conheço e portanto jamais falei com o bandido Marcos Valério. O mesmo vale para o Presidente Lula, durante todo o tempo em que esteve na Presidência. Desafio este Bandido a apresentar uma prova, uma testemunha, uma circunstância que dê base a esta acusação que ele faz buscando dar verossimilhança a uma reiterada tentativa de obter mais uma das famosas e fantasiosas “delações premiadas”. São múltiplas as tentativas que este Bandido tem construído, cada vez com um acréscimo de circunstâncias novas, todas mentirosas.

Ao contrário do que diz VEJA a morte de Celso Daniel não causa tremor nem medo ao PT. Causa dor pela perda de um dos melhores quadros que construímos, causa revolta pela reiterada tentativa de culpabilizar companheiros que são na verdade vítimas desta dor indescritível. Celso Daniel tinha acabado de assumir a função de Coordenador da elaboração do Programa de Governo do então candidato Lula e teria sem dúvida um papel importante, essencial no Governo que se formaria.

.

De uma vez por todas é preciso afirmar: quem investigou a morte de Celso Daniel foi a Polícia Civil de São Paulo e a Polícia Federal, ambas sob o Governo do PSDB. O inquérito primeiro foi contestado e foi realizado pela insuspeita Dra. Elisabete Sato um segundo inquérito que chegou às mesmas conclusões.

Houvesse na época um Intercept poderíamos ter tido acesso às reais intenções de alguns dos promotores do Ministério Público de São Paulo que levantaram as hipóteses caluniosas tentando politizar e envolver o PT neste processo. Sérgio Gomes foi na verdade a primeira vítima deste ativismo que depois vimos chegar à exaustão na Operação Lava Jato. Preso sem provas, submetido a uma tortura psicológica brutal em busca de uma delação premiada mentirosa que ele nunca aceitou, até ser acometido de um câncer e falecer.

Não é verdade que o senhor Ronan Maria Pinto tenha feito ou tentado qualquer tipo de chantagem contra mim ou contra o Presidente Lula. Até porque não teria base nenhuma para fazer qualquer tipo de chantagem, e não teríamos porque temer. Em nenhum momento Ronan Maria Pinto, também feito prisioneiro, sequer mencionou este episódio, criado pela fantasiosa mente do bandido Marcos Valério.

.

Tomarei as medidas judiciais para que o senhor Marcos Valério pague por mais este crime que cometeu. Quem tem a honra pessoal como único bem pessoal relevante, não pode se calar. Não me calarei.

Gilberto Carvalho