Fiocruz: Queimadas na Amazônia afetam a saúde das crianças

Publicado em 3 outubro, 2019

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em estudo coordenado pelo Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict), mapeou o impacto das queimadas para a saúde infantil na região amazônica.

A pesquisa concluiu que, nas áreas mais afetadas pelo fogo, o número de crianças internadas com problemas respiratórios dobrou. Foram cerca de 2,5 mil internações a mais, por mês, em maio e junho de 2019, em aproximadamente 100 municípios da Amazônia Legal.

LEIA TAMBÉM
Alemanha rejeita pedido de Salles e mantém corte de auxílio ambiental

Agosto tem recorde de queimadas na Amazônia desde 2010

Cacique Raoni diz que Bolsonaro incitou queimadas na Amazônia

Os estados mais afetados foram o Pará, Rondônia, Maranhão e Mato Grosso. Isso acarretou o custo excedente de R$ 1,5 milhão ao Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com pesquisas, viver em uma cidade próxima aos focos de incêndio aumenta em 36% o risco de se internar por problemas respiratórios.

O levantamento aponta ainda que em cinco dos nove estados da região houve aumento na morte de crianças hospitalizadas por problemas respiratórios.

As informações são da Fiocruz.