Doria tem ‘recaída’ e adere ao projeto de escolas militares de Bolsonaro

Publicado em 4 outubro, 2019


O governador de São Paulo João Doria (PSDB), após declarar que rompeu com a política do “BolsoDoria”, teve uma recaída nesta sexta-feira (4) e anunciou adesão ao projeto de implantação de escolas cívico-militares do governo Bolsonaro.

O anúncio foi feito pelo secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, em vídeo divulgado pela deputada Letícia Aguiar, do partido do presidente. Um dia antes, Soares afirmou que não havia entendido o programa federal e enviou um ofício com 23 perguntas ao Ministério da Educação. “É difícil aderir a um programa que você não sabe o que é”, disse o secretário.

.

No vídeo ao lado da deputada, Rossieli afirmou que as equipes da secretaria e do MEC conversaram para esclarecer pontos do projeto. No Twitter, Doria confirmou esta sexta (4) o aval do secretário para aderir ao projeto. “Considerando os esclarecimentos prestados ontem pelo MEC, após solicitação da nossa Sec. de Educação, o Estado de SP resolveu aderir ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares”, descreveu.

LEIA TAMBÉM:

Maia quer incluir milícias no pacote anticrime; Moro e Bolsonaro resistem

.

Doria: ‘Nunca fui bolsonarista’ e o ‘BolsoDoria’ acabou

O período de adesão havia terminado na sexta-feira (27). Quinze estados e o Distrito Federal tinham manifestado interesse. Da região Sudeste, somente Minas Gerais estava entre eles.