Deu chabu na votação da CCJ sobre prisão em 2ª instância; assista

Publicado em 15 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente (SP), classificou nesta terça-feira (15) como “moleque” o presidente da CCJ da Câmara Felipe Francischini (PSL-PR).

Valente denunciou que o presidente da CCJ não respeita as mulheres do colegiado e que atropela os líderes partidários.

“Ele é autoritário, moleque”, discursou no plenário da Câmara.

O líder do PSOL denunciou ainda que Francischini quis fazer uma reunião da CCJ da Câmara para açular as milicias de extrema-direta nas redes sociais.

LEIA TAMBÉM
Maria do Rosário e Francischini batem boca na Câmara; assista

Mídia manipula debate sobre julgamento de prisão em 2ª instância no STF

Rosângela Moro publica indiretas no Instagram: “Eu mereço mais” e “vá embora”

O deputado Orlando Silva (SP), líder do PCdoB, propôs uma “intervenção branca” na CCJ da Câmara. Segundo ele, as lideranças partidárias precisam “ajudar” a Comissão a dirigir os trabalhos.

Para o parlamentar comunista, ao pautar uma reunião em cima da hora sobre a prisão em segunda instância, Francischini pretendeu afrontar o Supremo Tribunal Federal (STF).

Na quinta-feira (17), o STF julgará as ADCs (ações de declaração de constitucionalidade) acerca do art. 283 do CPP*, que versa sobre a inconstitucionalidade do cumprimento de pena antes do trânsito em julgado.

* Art. 283. Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária ou prisão preventiva.

Compartilhe agora!