Bolsonaro e Salles são cobrados por óleo nas praias do Nordeste

Publicado em 19 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, estão sendo cobrados publicamente por um plano de contingência para conter o óleo nas praias do Nordeste.

No Twitter, a hashtag #OleoNoNordeste é um dos assuntos mais comentados deste sábado (19).

“Enquanto o governo lava as mãos, os nordestinos botam a mão na massa. É triste, mas emocionante”, registrou o escritor Marcelo Semer, ex-presidente da Associação de Juízes Pela Democracia.

De acordo com o IBAMA, 187 localidades de nove estados foram atingidas pelas manchas de óleo no Nordeste:

– Maranhão;

– Piauí;

– Ceará;

– Rio Grande do Norte;

– Paraíba;

– Pernambuco;

– Alagoas;

– Sergipe; e

– Bahia.

Bolsonaro e Salles continuam omissos diante de mais um desastre ambiental. Aliás, deles deram sua contribuição para este desastre ao extinguir em abril o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Água (PNC), instituído em 2013. Esta informação é da Folha

Nas redes sociais, incrédulos brasileiros postam fotos e vídeos com manchas de óleo nas praias e rios; tartarugas e peixes mortos; pescadores desesperados porque podem ficar sem seu sustento; a indústria do turismo pode entrar em colapso neste verão.

De acordo com informações vindas do Nordeste, a petrolífera Shell –a maior exploradora de petróleo estrangeira no Brasil– é a principal suspeita do maior e mais grave derramamento de óleo já ocorrido no País.

Enquanto isso, os nordestinos limpam a sujeira nas praias.

Compartilhe agora!