Bolsonaro diz que vai manter Ministro do Turismo no cargo

Publicado em 4 outubro, 2019

Mesmo após o indiciamento pela Polícia Federal (PF) do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), por uso de candidaturas-laranja no PSL em Minas Gerais, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) decidiu mantê-lo no cargo. A informação foi dada nesta sexta-feira pelo porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros.

“O presidente da República aguardará o desenrolar do processo. O ministro permanece no cargo”, afirmou Rêgo Barros ao ser questionado por jornalistas como ficaria a situação do ministro.

LEIA TAMBÉM:
Maia quer incluir milícias no pacote anticrime; Moro e Bolsonaro resistem

Doria tem ‘recaída’ e adere ao projeto de escolas militares de Bolsonaro

Governo Bolsonaro autoriza mais 57 agrotóxicos

O relatório policial com o indiciamento de Álvaro Antônio foi enviado nesta sexta-feira ao Ministério Público de Minas Gerais. Ex-presidente do PSL mineiro, o ministro teria comandado um esquema de desvio de recursos públicos ao lançar candidaturas femininas de fachada nas eleições de 2018.

Em março, durante um café da manhã com jornalistas, Bolsonaro disse que tomaria uma decisão sobre a permanência do ministro no cargo se a PF concluísse pelo envolvimento dele no caso.

“Podem ter certeza que uma decisão será tomada, lamento”, afirmou o presidente na ocasião.

Segundo o jornal O Globo, Bolsonaro agora tem dito a interlocutores que Álvaro Antônio tem feito um trabalho brilhante no ministério e que o caso em questão faz parte do passado dele, sem conexão direta com o atual governo.