Bolsonaro diz que não sairá de ‘livre e espontânea vontade’ do PSL

Publicado em 9 outubro, 2019
Compartilhe agora!


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, nesta tarde de quarta-feira (9), que não pretende deixar o Partido Social Liberal (PSL) “de livre e espontânea vontade”. Quanto à possibilidade de ser afastado da legenda pelo presidente, deputado federal Luciano Bivar (PE), Bolsonaro disse que era um “direito dele”.

Em conversa por telefone com O Antagonista, o chefe do Executivo alertou que sua eventual expulsão teria efeito negativo para a sigla: “Comigo fora da legenda, a tendência do PSL é murchar. Se eu sair, é natural que muita gente saia também”.

Bolsonaro se mostrou disposto a resolver o imbróglio com Bivar, mas reiterou suas críticas: “Não integro a Executiva, só estou filiado ao partido, mais nada. Essas são as reclamações. Eu não quero esvaziar o partido. Quero que funcione. O PSL caiu do céu para muita gente, inclusive para o Bivar. O que faço é uma reclamação do bem. O partido tem que funcionar, tem que ter a verba distribuída, buscar solucionar os problemas nos diretórios. Todo partido tem problema. O presidente, o tesoureiro, eles têm que solucionar isso”, declarou o presidente.

LEIA TAMBÉM:

Bivar diz que fala de Bolsonaro sobre o PSL foi “terminal”

Fogo no laranjal: PSL sabota deputados bolsonaristas

Lula previu o PSL se desmilinguido

Mais cedo, em conversa com a jornalista Andreia Sadi, do site G1, Bivar disse que Bolsonaro “já está afastado” do partido: “A fala dele foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”.

Tudo indica que a crise na legenda bolsonarista está entrando numa fase de definições e expurgos. Além disso, a disputa gira em torno butim milionário do fundo partidário do partido.

Compartilhe agora!