Trabalhadores mantêm greve nos Correios até o dia 17

Compartilhe agora!


A greve dos trabalhadores nos Correios continua em todo país. Sem acordo na audiência realizada no Tribunal Superior do Trabalho (TST), os sindicatos da categoria vão continuar de braços cruzados até a próxima terça-feira (17) quando farão uma assembleia nacional.

A pauta de reivindicação da categoria inclui a manutenção de direitos trabalhistas e sociais no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019/2020 e reajustes salariais. Além da luta contra  a privatização da empresa proposta pelo governo Bolsonaro.

A greve está mantida, afirmaram os dirigentes após a audiência. Isso porque,  não teve nenhuma proposta por parte da empresa na reunião mediada pelo ministro Maurício Godinho Delgado e a decisão do TST é provisória, sem garantia nenhuma e ainda precisa ser levada para assembleia nacional da categoria, no próximo dia 17.

LEIA TAMBÉM:

Greve nos Correios já afeta pagamento de boletos e a entrega de encomendas

A maioria é contra a privatização dos Correios, diz Paraná Pesquisas

Na assembleia, que será realizada pelos 36 sindicatos da categoria em todo o país, os trabalhadores dos Correios vão avaliar a proposta do TST de suspender a greve no próprio dia 17. Em contrapartida, a empresa não vai descontar nenhum dia parado e vai garantir que todas as cláusulas do ACT 18/19 sejam mantidas até o dia 02 de outubro, data do julgamento do dissídio, que vai avaliar se a greve é abusiva ou não.

Durante o movimento grevista,  as lideranças sindicais dos Correios também estão denunciando os prejuízos para a população com o projeto do governo Bolsonaro de privatizar a estatal.

*Com informações da CUT

Compartilhe agora!