TJ do Rio restabelece censura de Crivella contra gibi da Marvel

Compartilhe agora!

O Tribunal de Justiça (TJ) voltou atrás e restabeleceu a censura pleiteada pelo prefeito da Igreja Universal do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, contra obras de conteúdo homossexual.

Segundo o desembargador Claudio de Mello Tavares, presidente do TJ, obras que abordam homossexualidade atentam contra o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Livros que não forem comercializados em embalagens lacradas poderão ser recolhidos por fiscais da prefeitura, conforme realizado sem sucesso na sexta-feira (6), durante a Bienal.

LEIA TAMBÉM
Programação LGBT é mantida e vai ter ‘beijaço’ na Bienal do Livro no Rio

Justiça proíbe Crivella de censurar e apreender livros e gibis

Censura de Crivella aumentou as vendas e fez edição de HQ esgotar

Acontece que o Estatuto não diz nada disso.

Pela lei, “as revistas e publicações destinadas ao público infantojuvenil não poderão conter ilustrações, fotografias, legendas, crônicas ou anúncios de bebidas alcoólicas, tabaco, armas e munições, e deverão respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família”. Ou seja, nada que proíba um beijo entre duas pessoas.

Como protesto à censura do TJ e do prefeito, ativistas LGBT prometem um “beijaço” às 19h deste sábado (7)  na Bienal.

Com informações da Revista Fórum.

Compartilhe agora!