STF salva José Serra, a pedido da PGR

Compartilhe agora!

No apagar das luzes de sua gestão, a procuradora-geral da República Raquel Dodge pediu e o Supremo Tribunal Federal (STF) salvou o senador José Serra (PSDB-SP).

O tucano era acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de receber caixa 2, com base em delações premiadas de Joesley Batista e executivos da JBS.

De acordo a PGR e o STF, o crime cometido por Serra foi prescrito porque ocorrera na eleição presidencial de 2010.

A procuradora-geral argumentou que prescrição da pretensão de punição é de seis anos, após contas realizadas.

LEIA TAMBÉM
República de Curitiba vai até Brasília defender Moro e atacar o STF

Adolfo Perez Esquivel e Ignacio Ramonet relatam visita a Lula na prisão

Deltan Dallagnol volta a dar palestras com “Show das Poderosas”

Pelo art. 109 do Código Penal, a pena máxima de 5 anos que poderia ser imputada a Serra prescreveria em 12 anos. Ocorre que ele tem 76 anos e, de acordo com a lei, o tempo cai pela metade.

O inquérito do MPF prescrito foi aberto em 2017, ainda na gestão de Rodrigo Janot na PGR.

O diabo é que, antes da ação, o Ministério Público deveria zelar pela tempestividade da propositura para não causar dano à sociedade e ao imputado.

Raquel Dodge acertou ao salvar José Serra, mas vai deixar o cargo no próximo dia 17 devendo a liberdade para o ex-presidente Lula.

Como já foi dito antes aqui no Blog do Esmael, não haverá democracia no País com Lula mantido preso político.

Compartilhe agora!