Produtores de teatro divulgam nota em apoio à atriz Fernanda Montenegro


O diretor da Funarte Roberto Alvim, defensor ardoroso do bolsonarismo, acusou de “mentirosa” a atriz Fernanda Montenegro. As críticas foram motivadas pela recente capa da revista Quatro Cinco Um, que colocou a atriz vestida de bruxa em uma fogueira de livros. A Associação dos Produtores de Teatro (ATPR) divulgou nota nesta segunda-feira (23) em solidariedade à atriz rebatendo os ataques de Alvim.

“A ‘intocável’ Fernanda Montenegro faz uma foto pra capa de uma revista esquerdista vestida de bruxa”, escreveu Alvim. “Na entrevista, vilipendia a religião da maioria do povo, através de falas carregadas de preconceito e ignorância. Essa foto é ecoada por quase toda a classe artística como sendo um retrato fiel de nosso tempo, em postagens que difamam violentamente o nosso presidente”, atacou Alvim em uma rede social.

LEIA TAMBÉM:

Fernanda Montenegro posa de bruxa contra a censura e as perseguições

Diretor da Funarte ataca Fernanda Montenegro por foto contra censura

PT, PCdoB, PSOL, PSB e PDT denunciam Witzel ao STJ

“Então acuso Fernanda de mentirosa, além de expor meu desprezo por ela, oriundo de sua deliberada distorção abjeta dos fatos”, diz. “Fernanda mente escandalosamente, deturpa a realidade de modo grotesco, ataca o presidente e seus eleitores de modo brutal, e eu sou grosseiro e desrespeitoso, apenas por ter revidado a agressão falaciosa perpetrada por ela?”, acrescentou o bolsonarista da Funarte.

Ele ainda tachou as falas de Fernanda de infantis, mentirosas e canalhas. “Já nutri alguma admiração por ela. Hoje, só o que sinto por essa mulher é o mais absoluto desprezo. Triste fim de carreira”, finaliza.

A Associação dos Produtores de Teatro (APTR) emitiu nota em que repudia as declarações do bolsonarista chapa-branca da Funarte.

“A APTR repudia veementemente as declarações do diretor de Artes Cênicas da Funarte, sr. Roberto Alvim, em suas redes sociais, onde classifica o não diálogo com a classe artística como uma ‘guerra irrevogável’. Com a mesma intensidade, repudiamos a classificação da fala de dona Fernanda Montenegro como infantil, mentirosa e canalha. É absolutamente inadmissível que uma atriz com a sua trajetória seja atacada em seu livre exercício de expressão”, diz a nota.

“Como cidadão, o Sr. Roberto Alvim pode expressar opinião, independentemente do campo social, cultural e ideológico. Já como gestor público de relevância nacional -ou seja, representando o país como um todo- o mesmo deveria atentar-se à natureza do seu cargo, pautando-se pelo respeito à classe que representa e aos profissionais consagrados por sua atuação. Cuidar da cultura como um importante setor para a economia e a formação de um país trata-se de um exercício diário, ético e respeitoso. O mesmo se aplica ao cuidado que deveria ser adotado ao se referir a uma atriz como Fernanda Montenegro, um símbolo da identidade nacional, com reconhecimento em todo o mundo.”

*Com informações da Folha de São Paulo