PODEMOS cogita abandonar Bolsonaro pela candidatura de Moro em 2022

Publicado em 18 setembro, 2019
Compartilhe agora!

O PODEMOS, partido do senador Alvaro Dias (PR), cogita abandonar o apoio ao governo Jair Bolsonaro (PSL) pela candidatura do ministro Sérgio Moro, em 2022, à Presidência da República.

Em 2018, após o primeiro turno, Alvaro ficou “neutro” no segundo turno e o PODEMOS liberou seus parlamentares para apoiar a eleição de Bolsonaro. Na época, os 11 deputados federais eleitos para esta legislatura se entregaram ao capitão.

O PODEMOS não está sozinho nesse páreo. O NOVO, legenda de João Amoedo, também ambiciona filiar o ex-juiz da Lava Jato com a intenção de lançá-lo na corrida presidencial.

Porém, a relação de Moro com Alvaro e o PODEMOS é mais antiga. Nas vésperas da eleição passada, inclusive, a Lava Jato estudou usar o partido como “barriga de aluguel” de procuradores, delegados e agentes identificados com a força-tarefa. Até Deltan Dallagnol examinou a possibilidade de concorrer ao Senado pela sigla.

LEIA TAMBÉM
Ministros do STF consideram Lula ‘cada vez mais solto’ após a #VazaJato

“Bolsonaro é tosco e misógino”, diz Dilma na Sorbonne

Lula concede nova entrevista. Desta vez, para Renato Rovai

Dito isto, a deputada federal Renata Abreu (SP), presidenta nacional do PODEMOS disse à coluna Painel, na Folha, que seria uma honra ter Moro candidato pelo partido.

“Moro representa muito para o Brasil. Se ele viesse para o Podemos, seria uma honra”, afirmou a dirigente, que ainda luta para filiar a senadora Juíza Selma (MT), conhecida como “Moro de saias”, também o Major Olímpio (SP), outro defensor da CPI da Lava Toga –uma comissão de investigação para espezinhar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Queremos parlamentares que tenham atuação independente e de combate à corrupção”, jura a deputada Renata Abreu.

Compartilhe agora!