gilmar mendes moro

Intercept mostrou ‘entranhas do combate à corrupção’, diz Gilmar Mendes


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, declarou que “o combate à corrupção é um compromisso de todo nós. Mas não se pode combater a corrupção comentendo crimes”. Uma referência direta aos métodos empregados pela operação Lava Jato.

O ministro afirmou ainda que as mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil demonstram o que ele chamou de “estranhas do combate à corrupção”: “Inclusive corrupção rasteiras, baixas, como por exemplo, pedido de passagens, vendas de palestras e coisas do tipo.”

LEIA TAMBÉM:

Em nota, Gilmar Mendes sugere tratamento psiquiátrico a Rodrigo Janot

Globo tenta ressuscitar a Lava Jato

Lava Jato usou e abusou de provas ilícitas para prender e intimidar suspeitos

Segundo o site Congresso em Foco, Gilmar também citou a fundação que a Lava Jato cogitou abrir para poder gerir um fundo bilionário de recursos oriundos da Petrobras: “A famosa fundação Dallagnol, R$ 2,2 bi. […] Veja portanto: cheiro de corrupção, jeito de corrupção, forma de corrupção, matéria de corrupção. Portanto o combate à corrupção tem que se fazer dentro de casa, inclusive.

As declarações de Gilmar Mendes foram feitas nesta quinta-feira (26) durante sessão do Superior Tribunal Federal (STF).