ministro mec abraham

Governo Bolsonaro ‘espiona’ redes sociais de candidatos a reitor

ministro MEC Abraham
O governo está monitorando redes sociais dos candidatos a reitores nas universidades federais, informa a coluna de Guilherme Amado na revista Época. O objetivo é impedir a nomeação de reitores com posições progressistas ou alinhados aos partidos de esquerda.

Os “stalkers” governistas realizam o trabalho de pente fino e remetem os dados para o Ministério da Educação (MEC).

LEIA TAMBÉM:

Colunista do Estadão vê “mocinhos” da Lava Jato virarem bandidos

‘Lula não aceitará qualquer condição para sair da prisão’, diz Dilma

Reitores criticam proposta de “privatização” de universidades

Por sua vez, Bolsonaro já admitiu publicamente o veto ideológico aos reitores eleitos com perfil de esquerda.

“Para ajudar nessa avaliação, o presidente também recebe de parlamentares de cada estado informações sobre os três candidatos mais votados nas universidades — o que pode aumentar o risco de escolhas por critérios políticos”, constata o articulista.