gilmar mendes

Gilmar Mendes: A PGR criou um monstrengo

O ministro Gilmar Mendes, do STF, questionou nesta sexta-feira (27) ‘onde que erramos’ para criar esse monstrengo, chamado Rodrigo Janot, na Procuradoria-Geral da República (PGR).

“Onde é que erramos para criar esse monstrengo na PGR?”, perguntou Gilmar durante entrevista ao programa de Reinaldo Azevedo, na rádio Bandnews FM.

Gilmar Mendes disse que não sabia que correu risco de morte e que os membros da Lava Jato tinham essa verve homicida.

LEIA TAMBÉM
Urgente: PF faz busca e apreensão em endereço de Janot

Deputados dos Estados Unidos propõe resolução por ‘Lula Livre’

Frota para Eduardo Bolsonaro: ‘Tu foi criado soltando pipa em ventilador’

“Essa gente, em algum momento, assumiu papel de verdadeiro deuses”, criticou o ministro, revelando que até no STF era proibido contestar a força-tarefa.

Para o magistrado, o sistema ‘Checks and Balances’ (de contrapesos) faleceu com a Lava Jato.
“A lava jato constituiu uma nova constituição. Alguns sabiam que [os membros da Lava Jato] eram déspotas, mas não sabíamos que eram déspotas obscuros”, disparou.

Perguntado sobre a serenidade com que recebeu a confissão de Janot, Gilmar disse que se preparou para o debate acadêmico e não para a academia de jiutusu.
Além de comentar a determinação do ministro Alexandre de Moraes, que proibiu Janot se aproximar de ministros do STF, também denunciou a ação de lavajatistas fascistas que estimulam violência contra o tribunal.