Gilmar chama Janot de “potencial facínora” em entrevista

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), chamou nesta sexta (27) o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot de “potencial facínora”.

“Os senhores sabem que eu fui, no Supremo Tribunal Federal, sempre um crítico dos métodos do procurador Janot. Divergências de caráter intelectual e institucional. Não imaginava que nós tivéssemos um potencial facínora comandando a Procuradoria-Geral da República”, declarou o ministro durante uma entrevista coletiva na saída de um evento no Tribunal Superior Eleitoral ( TSE), em Brasília.

LEIA TAMBÉM:
Janot é prova de que a Lava Jato nunca foi coisa séria

Janot pode perder porte de arma e ser proibido de entrar no STF

‘Espero que a PF já tenho tirado o porte do Janot’, diz Rodrigo Maia

Gilmar também afirmou que não pretende recorrer a alguma medida judicial contra Janot.

“Não cogito isso. Tenho a impressão de que se trata de um problema grave de caráter psiquiátrico”, disse.

Questionado se as declarações de Janot contaminam as investigações da Lava Jato, o ministro respondeu: “Entendo que, na verdade, elas foram feitas por um tipo de pessoa com essa qualidade psicológica, com essa personalidade e, por isso, precisam ser analisadas a partir dessa perspectiva”.

Gilmar ainda defendeu um novo método de escolha do representante da Procuradoria.

“Passaram a escolher pessoas que não tinham qualificação jurídica, moral e psicológica para exercer a função [na PGR]. O sistema político vai ter que definir, talvez abrir para uma nomeação entre os juristas do Brasil”, disse.

Com o objetivo de promover o seu livro de memórias “Nada Menos que Tudo”, Janot revelou nesta quinta-feira (26) à veículos de comunicação que em 2017 chegou a ir armado ao STF para matar Gilmar.

Com informações da Folha.