Bolsonaro já deu stricke em oito auxiliares, 1 por mês; veja quem caiu do governo

Compartilhe agora!

Em RH e na psicanálise se atribui ao chefe os problemas, quando os funcionários não param na empresa. E é isso que acontece na “companhia” chamada Brasil, comandada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo levantamento rápido, ao menos 8 auxiliares de alto escalão já foram demitidos por Bolsonaro. Muitos dos quais em público, de forma humilhante, outros foram ou continuam sendo fritados –a exemplo do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

A última vítima de Bolsonaro foi o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, a pretexto da recriação da CPMF.

Muitas outras vítimas ainda virão, pelo andar da carruagem presidencial.

LEIA TAMBÉM
Deu chabu na reforma da previdência no Senado

Intercept desvenda esquema de grampos na Lava Jato

Dilma: “Vazamentos seletivos não me intimidarão”

Veja quem já caiu em do governo Bolsonaro:

* Marcos Cintra, secretário da Receita Federal (11/09/2019)

* Roberto Leonel, presidente do Coaf (20/08/2019)

* Floriano Peixoto, presidente do Correios (21/06/2019)

* Joaquim Levy, presidente do BNDES (16/06/2019)

* Carlos Alberto dos Santos Cruz, Secretaria de Governo (13/06/2019)

* Franklimberg Ribeiro de Freitas, presidente da Funai (junho de 2019)

* Ricardo Vélez Rodríguez, ministro da Educação (08/04/2019)

* Gustavo Bebianno, ministro da Secretaria-Geral da Presidência (18/02/2019)

Compartilhe agora!